O Movimento de Restauração do Senhor
  •  

    Por T. Austin-Sparks (1888 – 1971)

    De modo geral hoje, o pleno pensamento e o projeto do Senhor não são muito conhecidos entre o seu povo. O testemunho do Senhor tem-se desmoronado lamentavelmente, e a grande multidão chamada pelo seu nome é regida, manipulada e controlada por algo que pertence religiosamente à terra e não ao céu – ao homem e não ao Espírito Santo. Precisamos reconhecer que é absolutamente impossível aceitar essa situação. Uma coisa é reconhecer isso, e outra, totalmente diferente, estar envolvido com o mover de Deus para recuperar aquilo que ele tinha em mente originalmente.

    É possível estar ocupado o tempo todo com o estado deplorável das coisas, lamentando, fazendo as pessoas se sentirem miseráveis, mas nunca chegar a lugar nenhum. Isso não é suficiente. É muito fácil ver os erros e ser, em certo sentido, um religioso descontente; mas isso não é engajar-se no movimento de restauração do Senhor. O Senhor sempre age em relação a esse tipo de situação – e ainda está agindo hoje.

    Deus precisa de um vaso – um instrumento ajustado para estar em tal sintonia de comunhão com ELE que as condições à sua volta de colapso e fracasso espiritual se tornem causa de sofrimento agudo, uma verdadeira agonia. Paulo conhecia algo desse sofrimento por causa do Corpo de Cristo, preenchendo o que ainda faltava dos sofrimentos de Cristo (Cl 1.24). Temos de enfrentar a mesma situação! A única coisa que vai contar para Deus é a nossa participação em suas aflições.

    O encargo do coração em favor do testemunho do Senhor

    Há muito romantismo associado ao trabalho cristão, mas isso é mero glamour: entusiasmo e interesse em fazer parte de uma atividade cristã organizada – apenas isso. Porém, não é o que somos diante dos homens neste assunto, mas o que somos diante de Deus no lugar secreto, tendo dor no coração a respeito do testemunho do Senhor. Nunca chegaremos a lugar nenhum até que entremos, pelo menos em alguma medida, em suas dores de parto. O ministério, no seu verdadeiro, permanente e eterno valor, dependerá da medida em que o trabalho de parto se torna uma experiência nossa.

    Estes são dias de trabalho de parto. Quer se trate de um trabalho de parto para o não salvo ou para o povo do Senhor, toda verdadeira atividade espiritual nasce da aflição no espírito para gerar vida; aqueles que foram mais usados por Deus em todas as épocas eram homens e mulheres que tiveram essa angústia de alma – em sua vida secreta com Deus, carregavam em seu coração um fardo que os levava a um ponto em que os seus interesses se tornaram completamente secundários. Arriscavam a própria vida e subordinavam tudo ao interesse do próprio Senhor e do seu testemunho, dispondo-se a abrir mão de tudo por amor a Deus. Isso se torna um peso no coração a ser carregado o tempo todo, e não apenas um fardo ministerial. Esse sentimento é essencial para qualquer verdadeiro ministério.

    Instrumentos divinos

    O Senhor precisa de um instrumento – um instrumento como Daniel – seja individual ou coletivo, que esteja disposto a tomar passos radicais em favor de Deus e do seu testemunho. Ele precisa de um Neemias, com uma dor no coração pelo povo por causa do desmoronamento do testemunho. Ele precisa de um Esdras que, nem por um momento sequer, se comprometerá com qualquer coisa contrária à mente de Deus; e um instrumento como Ester, que lance o medo aos ventos e vá em frente, colocando sua vida em perigo, para suplicar favor diante do trono poupando a vida de seu povo, e libertando-o da ameaça do inimigo.

    Amado, o encargo do Senhor precisa vir sobre nosso coração de maneira semelhante, se quisermos ser instrumentos eficazes para ele em seus planos no fim dos tempos; precisamos ser exercitados de maneira muito profunda nos interesses de Deus. Não devemos reter nada que possa servir para o Senhor e o seu interesse. Você ficará surpreso com a intervenção do Senhor se lhe der uma chance.

    Oposição espiritual

    Tudo começa com o reconhecimento da necessidade e o encargo que gera em nosso coração. Quando estivermos realmente mergulhados nisso, pelo impulso do Espírito Santo, as características comuns encontradas nesses instrumentos usados por Deus no Antigo Testamento serão implantadas em nós; nos tornaremos um povo totalmente dedicado a apenas UMA COISA – o encargo no coração do Senhor e sua preocupação com seu testemunho coletivo.

    Quando você entrar nisso para valer, logo se verá numa área de oposição em que enfrentará uma verdadeira batalha. Se quisermos ficar ao lado de Deus naquilo que representa todo o seu pensamento e projeto, teremos de enfrentar o mais feroz antagonismo, conflito e pressão de todos os lados; não haverá nenhum método esquecido pelo inimigo para tentar frustrar o objetivo que está diante de nós. Por que tanto antagonismo? Por que tanta pressão? Cada vez que há algo diante de nós, que contribua para o plano de Deus e para seu propósito final, ali estará a oposição – você a encontrará o tempo todo.  

    Encontramos essa pressão de dentro e de fora quando estamos envolvidos num propósito que interessa para Deus. Quando a pressão vem, você deve reconhecer que está relacionada a algo que realmente importa para Deus. A pressão ou oposição pode vir por meio de pessoas; porém, se as culparmos e concentrarmos nossa atenção nelas, estaremos perdendo o foco. Começamos a lutar com as pessoas, quando, na verdade, é algo muito mais profundo do que isso: “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Ef 6.12).

    As pessoas ficam irritadas umas com as outras, e isso começa a nos afetar, levando-nos a dirigir a nossa atenção a elas. Brigamos com elas, criando uma situação de confusão, mas vemos depois quão tolos fomos em permitir que o diabo nos desviasse para um conflito humano, quando era, de fato, uma questão espiritual. Não foi realmente a falha de pessoas ou apenas acontecimentos inconsequentes; havia um ataque espiritual em jogo. E todas essas coisas foram trazidas e usadas pelo inimigo para nos ocupar com a causa menor e para nos cegar para o problema real, mantendo-nos, assim, fora da oração e de uma posição ao lado do Senhor para defender seus direitos que estavam sendo desafiados em algum ponto.

    Estaremos numa esfera de conflito incessante; e entramos, ao que parece, na era em que o inimigo não para nenhum segundo e quando não se pode tirar nenhum minuto de folga. Tudo o que fazemos deve ser feito deliberadamente com Deus, e nunca devemos agir independentemente ou separado de Deus: o inimigo está espreitando para pegar qualquer movimento dessa natureza, e se houver, certamente colheremos os frutos.

    Procure o encargo do Senhor

    A libertação de si próprio vem de acordo com sua preocupação com os interesses do Senhor. Você pode ficar preso nos seus próprios problemas espirituais, mas a saída disso é sentir o encargo, em seu coração, de todo o povo de Deus. É isso que gera ministério, significa força e significa oração. É uma coisa emancipadora ter o encargo do Senhor. As coisas hoje são terríveis espiritualmente; mas há aqueles que procuram alcançar mais de Deus e perguntam onde podem encontrar alimento espiritual. O Senhor gostaria de fazer, eu creio, algo em nossos dias, um dia de pequenas coisas, e ele vai começar procurando um instrumento com um encargo – um instrumento no qual foi depositada a revelação completa e ampla do Senhor Jesus, alguém disposto a dar passos de fé, a confiar no Senhor e a lhe dar uma chance para defender a si mesmo.

    Você está brincando com uma coisa e outra, divertindo-se com pedregulhos na praia, em vez de se lançar ao alto mar e envolver-se com Deus, no seu grande propósito? Você está levemente interessado ou desesperadamente preocupado; apenas desfrutando um tempo agradável ou realmente levando a necessidade de Deus e do seu povo em seu coração? Peça ao Senhor para atraí-lo aos assuntos que o interessam de fato; prostre-se diante de Deus para que o encargo dele para este momento seja transferido ao seu coração. Pergunte ao Senhor sobre isso; e, se ele revelar o que o está entristecendo, peça que o coloque em seu coração e que o introduza em verdadeira comunhão sobre aquilo que ele gostaria de fazer hoje.

    _______________________

    Mais materiais por T. Austin-Sparks  disponíveis (em inglês) em: www.austin-sparks.net.

    De acordo com o desejo de T. Austin-Sparks de que tudo o que foi recebido de graça fosse distribuído livremente e não vendido para lucro, e que suas mensagens fossem reproduzidas palavra por palavra, no caso de compartilhar estas mensagens com outras pessoas, pedimos que respeite os desejos do autor, e ofereça-as livremente – sem quaisquer mudanças, sem qualquer custo (exceto os custos de distribuição, etc.) e com a inclusão desta declaração.

    FONTE: http://www.oarautodasuavinda.com.br/o-movimento-de-restauracao-do-senhor


    4 outubro 2016 | CAC | Nenhum Comentário | Tags:

Sobre o Autor

CAC

Comments are closed.