Nossos satélites orientadores
  • Mike Davies *

    Imagine-se andando vendado por um caminho apertado. A única coisa que pode garantir a você  ficar na trajetória é a voz de um amigo a guiá-lo, instruindo você se deve virar à esquerda ou à direita. Você não teria outra escolha a não ser seguir as instruções dos seus amigos, porque entenderia que eles podem ver o que você não pode ver, por estar com os olhos vendados. Seria muita estupidez ignorar essas instruções, ou decidir que você realmente sabe o que é melhor, ou até se ofender com o fato de alguém estar lhe dizendo qual caminho seguir! Da mesma forma, você logo perceberia que, em um momento em que lhe é dito para virar à esquerda e a seguir para a direita, isso não é uma contradição. Seu amigo não é confuso, nem incoerente e muito menos desonesto: ele está simplesmente ajudando a corrigi-lo na direção em que você precisa ir para permanecer no caminho.

    É um pouco assim quando vivemos nossas vidas. Jesus, é claro, disse que entramos por uma porta estreita para seguir em uma estrada difícil, que poucos encontram… mas muitas vezes parece que estou andando nesse caminho estreito com os olhos vendados. Mt 7:14 “Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram”.

    Eu, muito facilmente, vaguei, perdendo-me  no caminho ou tropeçando e caindo. Ou eu ficava cansado e até tentado a tomar um caminho mais fácil. Percebo que sou totalmente dependente dessa voz externa para  guiar-me, mantendo no caminho “estreito e apertado”.

    Então de onde vem essa voz? Como posso garantir que não me perderei? O princípio que usei foi retirado do conceito de sistema GPS (Sistema de Posicionamento Global). Um dispositivo GPS(1) transmite uma informação recebida por um satélite que enviou  um sinal. Calculando o tempo que leva para o sinal chegar, o dispositivo pode calcular a distância que eu estou daquele satélite. No entanto, as informações de apenas um satélite não podem me fornecer uma localização exata; é preciso haver, no mínimo, três satélites retornando o sinal para que eu possa identificar exatamente o ponto onde estou e com muita precisão onde meu destino estará.

    Quais são os três “satélites espirituais” que eu uso ou seja, quais os “sinais” que eu tento receber para me ajudar em minha caminhada?

    1. A voz do Senhor

    Ele fala comigo através do Espírito Santo. Jesus foi bem claro: As minhas ovelhas ouvem minha voz (João 10: 3) . “O porteiro abre-lhe a porta, e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as suas ovelhas pelo nome e as leva para fora.”

    Se eu não estiver gastando  tempo para ouvir a voz dele e seguir as suas instruções, eu nunca chegarei em segurança ao meu destino.  É imperativo que eu ouça a Sua voz, reconheça-a entre todas as outras vozes que me cercam e obedeça às Suas instruções.  Não adianta ouvir a sua voz, se não estivermos dispostos a obedecer.

    Esta é a única distinção entre os homens sábios e tolos que construíram suas casas na rocha e na areia, respectivamente.

    Embora isto seja vital, é insuficiente por si só. Não porque o Senhor é deficiente, mas porque eu sou falível, pecaminoso, preconceituoso em meu pensamento, teologia e sentimentos e porque meu próprio coração é enganoso (Jeremias 17: 9). Se tudo o que tenho para me guiar é minha impressão do que o Senhor está dizendo, não demorará muito para eu me perder no caminho.

    2. A Palavra de Deus

    A Palavra é uma lâmpada para os meus pés (Salmos 119: 105). Precisamos entender que a Palavra em si é inerrante e é a autoridade final em nossas vidas. Precisamos ser aqueles que lêem, compreendem e podem lidar corretamente com a Palavra; aplicando-o às nossas vidas. Novamente, porém, a Escritura sozinha não é suficiente; de fato, pode fazer mais mal do que bem (Paulo escreveu em 2 Coríntios 3: 6) “a letra mata, mas o Espírito traz vida”). Isso é novamente por causa de minhas próprias falibilidades e peculiaridades pessoais. Um problema que podemos ter é que podemos distorcer as Escrituras ou usá-las seletivamente, consciente ou inconscientemente, para afirmar o que queremos ouvir e seguir o caminho que preferiríamos tomar.

    3. Outros irmãos

    Somos salvos para viver em uma comunidade, com amigos e líderes para nos ajudar. Eles estão lá para nos discipular, para nos treinar e corrigir, repreender e nos encorajar. É claro que podemos nos cercar de amigos e professores que nos dirão apenas o que queremos ouvir, ou podemos nos cercar daqueles que falam a verdade em amor, nos apontarão na direção certa e nos ajudarão quando tropeçarmos. É instrutivo ler Eclesiastes 4: 9-11,  que nos diz quando um homem que anda sozinho cai não há ninguém para ajudá-lo, mas se um homem, andando com outro, cair, ele tem alguém para ajudá-lo . Não só temos ajuda quando caminhamos com os outros, mas nossas chances de cair também serão reduzidas.

    À medida que progredimos em nossa caminhada cristã, precisamos estar constantemente fazendo ajustes para não nos afastarmos do caminho. Como ao  dirigir um carro, estamos constantemente corrigindo, no volante, as tendências de virar à esquerda ou à direita. Também precisamos ter certeza de que, quando há bifurcações na estrada,  as decisões que podem alterar nosso destino final, podemos escolher o caminho certo com um bom grau de confiança.

    Se essas três coisas se alinharem, eu posso ter essa confiança; se não, então eu deveria aguardar um tempo para “recalibrar a minha rota”.

    Este é um princípio que eu achei incrivelmente útil em minha vida. Isso me salvou muitas vezes. Mesmo assim, houve momentos em que eu me desviei ou dei uma guinada errada. A boa notícia é que, se nos encontrarmos na direção errada, servimos a um Deus que constantemente nos chama de volta. Ele está constantemente permitindo-nos retornar. Ele está pronto para perdoar, restaurar e guiar em Seus caminhos.

    _________________________________________

    Observação: traduzido por Cláudio Cabral e publicado sob autorização do autor. 

    * Sobre o autor

    Mike serve na Igreja Geração de Josué, na África do Sul. Ele ama ver pessoas preparadas para servir efetivamente ao Reino de Deus. Ele é casado com Chantal e tem duas lindas filhas. Você pode segui-lo no Facebook.

    ____________________________

    Nota do tradutor  (1) O que é GPS?

    O GPS (Sistema de Posicionamento Global) é um sistema de radionavegação por satélite desenvolvido e operado pelo Ministério da Defesa dos E.U.A. O GPS permite determinar a posição, velocidade e o fuso horário dos utilizadores em terra, mar e aerotransportados 24 horas por dia, em todas as condições climatéricas e em qualquer parte do mundo. Os sinais GPS são disponibilizados simultaneamente para um número ilimitado de utilizadores. Os satélites GPS podem ser utilizados por todos sem custos. Cada satélite do sistema GPS transmite sinais para equipamentos no solo. Os receptores GPS recebem passivamente os sinais provenientes dos satélites, mas não transmitem. Os receptores GPS necessitam de ter o campo visual em altitude desimpedido, pelo que só podem ser utilizados no exterior e, ainda assim, poderão ter um desempenho menos bom em áreas arborizadas ou perto de edifícios altos. As operações do GPS dependem de uma referência horária muito precisa, a qual é fornecida por relógios atómicos do Observatório Naval nos E.U.A. Cada satélite GPS tem um relógio atómico a bordo. O sistema GPS usa uma rede de satélites que permite assinalar a localização de pessoas com receptores GPS em qualquer parte do mundo.

    Fonte: http://pt.support.tomtom.com/app/answers/detail/a_id/8299/~/o-que-é-o-gps%3F

    PONTE IGREJA FLORIPA


    16 abril 2019 | CAC | Nenhum Comentário | Tags:,

Sobre o Autor

CAC

Comments are closed.