Mudanças
  • Cláudio Cabral

    Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele.

    Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. I Cor 3:9-15

    Temos vivido dias de mudanças. Minha esposa e eu decidimos mudar nosso endereço e um vendaval tem passado em nossa casa. Tudo virado de pernas para o ar, muitas coisas sendo colocadas para fora, caixas, embalagens, coisas para o lixo e outras para vender no bazar que montamos na nossa garagem. E outras ainda para dar a quem precisa.

    Alguém já disse que temos três tipos de mudanças na vida: as que planejamos e decidimos fazer, as mudanças que fomos convidados a fazer e aquelas que as circunstâncias nos obrigaram. Parece até brincadeira, mas esta mudança de endereço é uma composição das três, por mais surpreendente que possa parecer tal afirmação. Pensando de trás para frente, as circunstâncias nos pressionaram, o que de alguma forma, nos convidaram “a decidirmos” por tal mudança.  Muito mais que a mudança “aparente” de endereço, esta mudança envolve também outras questões em nossa vida.

    Quando fazemos uma mudança de endereço e precisamos transportar nossos bens de um local para o outro, é necessário fazer um saneamento, uma limpeza nas coisas, roupas e papéis velhos que acumulamos durante anos e anos. Este processo de avaliar o que necessita ser guardado, o que já não tem valor e o que agora precisa ser renovado, é importante. Revisitamos assim todas as fases de vida que vivemos, registradas naqueles objetos e papéis. E ficamos, no final do processo, mais leves e realizados, sabendo que o que tem mais valor não é o material, o que vemos, mas o imaterial, aquilo que não vemos. Aquilo que não pode ser comprado com dinheiro. As marcas que deixamos, as lembranças, as amizades, os processos que vencemos e amadurecemos.

    Outra vantagem em se submeter a uma mudança é que aprendemos a nos desapegar das coisas, dos objetos, das nossas relíquias. Claro que algumas coisas levamos conosco, mas muitas vemos que não tinham tanto valor assim como pensávamos. E as abandonamos.

    E para enumerar uma última vantagem, uma mudança nos faz sair da zona de conforto e da mesmice da rotina. Quando nos mudamos precisamos deixar nossa rotina e hábitos, para trabalhar na arrumação das caixas, no transporte e nas providências de tudo que é envolvido.

    Na carreira cristã, no caminho que começamos a trilhar quando decidimos ser discípulos do Mestre, Jesus, precisamos também deixar que aconteçam mudanças, transições e experiências que nos levam para mais perto de Deus. Com certeza, o nosso Pai Amado, que edifica nossas vidas, nos chama a atenção de diversas maneiras ao longo do caminho. E permite que ocorram mudanças no nosso viver.

    O texto de abertura deste artigo fala um pouco sobre como edificamos a nossa vida cristã. Compara nossas vidas com a construção de um prédio, de um edifício. Afirma a importância da nossa vida estar alicerçada sobre um sólido fundamento, que é a base de tudo. Se refere ao Senhor Jesus e uma experiência real com ele, que é quem nos gerou a fé e que nos deu vida, quando estávamos mortos pelo nosso pecado, pelas nossas transgressões. Afirma ainda que a aquilo que é construído sobre o fundamento deve ser feito com material nobre, valioso e de excelente qualidade. Compara tais materiais ao ouro, prata e pedras preciosas. Diz, porém, que existem coisas como madeira, feno e palha, que são materiais menos nobres para uma construção, os quais não sendo duráveis, sendo frágeis, serão queimados pelo fogo daquele dia.

    Em nossa existência muitas vezes construímos a nossa vida, como uma edificação (um prédio), com materiais menos nobres, que não permanecem para sempre. Hoje é o tempo de fazermos uma avaliação se não é chegado a hora de mudarmos, de fazer mudanças drásticas e radicais em nossa vida. Fazer um saneamento de “coisas velhas” que não servem para mais nada e construir de novo com materiais nobres, comprados na Casa do Construtor de nossas vidas, nosso Pai.  E nesta nova obra, contratar o Arquiteto que é perfeito em seus projetos e suas obras. (Hb 11:10).

    Mudar faz parte da vida. Cada estação da nossa existência requer mudanças.  Querendo ou não, precisamos mudar, na vida natural e na vida espiritual. E é melhor que tomemos a iniciativa. Depois veremos que valeu a pena, que o tempo de mudar era agora mesmo.

    casa MAIO 2011

     

     

     

     

     

     


    14 março 2016 | CAC | Nenhum Comentário |

Sobre o Autor

CAC

Comments are closed.