Amigos que nos levam a Jesus
  •  

    worship 1

    Cláudio Cabral *

    E alguns dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa. E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra. E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro. E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e,  fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico. E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados. E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo: Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações?  Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda? Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico),  A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa. E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.  Marcos 2: 1-12

    Esta história é linda e preciosa para aprendermos algumas lições. Aqueles rapazes não podiam ver aquele amigo naquela situação. Sabiam a quem levá-lo, não importando o que fosse necessário fazer.

    Amigos que nos levam a Jesus…

    1. Veem nossas misérias e se enchem de misericórdia

    Aqueles 4 homens se compadeceram do paralítico. Eles sentiram, pensaram e agiram. Amor sem ação nem sentimento é, é engano.

    2.  Nos amam sem esperar retorno

    O paralítico era pobre, não tinha como dar nenhuma forma de retorno ou recompensa. Estes quatro homens não pensavam em recompensa, só em ajudar.

    3. Não se envergonham de nós

    O paralítico provavelmente não era uma pessoa muito bem vista pela comunidade.  Os doentes ou incapazes são muitas vezes vistos com preconceito e rejeição. Os fracos também são vistos de forma crítica.

    4. Não medem esforços para nos ajudar

    Aqueles 4 homens fizeram de tudo para levar o seu amigo diretamente para Jesus. A “engenharia” para tanto foi bem trabalhosa. Não mediram a dificuldade, viam apenas a necessidade de seu amigo e “ela”  falava mais forte.

    5.  Estão dispostos a pagar o preço
    (Oração / choro, tempo / paciência e recursos)

    Foi trabalhoso e caro abrir o telhado. Depois de tudo, provavelmente consertaram o telhado da casa de Pedro, mas sorridentes da vitória alcançada. Talvez o amigo curado fosse o primeiro agora a subir no telhado e dar boas risadas de alegria pelo presente que Jesus lhe deu.

    6. Entram em ação

    Aqueles 4 homens entraram em “ação”. Como diríamos hoje, eram “GENTE QUE FAZ”. Eles não ficaram só planejando, vendo os “prós e contras”. Eles tinham um alvo e não descansariam enquanto não o alcançasse.

    7. Não desistem de nós, não desanimam

    Aqueles 4 homens encontraram a casa cheia e sem condições de entrarem. O Mestre estava lá, inacessível. Eles não desistiram, “inventaram” um caminho para ajudar seu amigo.

    8. Suas vidas glorificam a Deus

    No final do episódio aqueles quatro homens deram motivos para glorificar ao Senhor. Seus nomes não são citados, mas eles cumpriram a vontade de Deus. (v.12)

    * Um amado irmão em Porto Alegre, Elias, que numa conversa informal me passou estas lições preciosas que o Senhor revelou a ele  algum tempo atrás. O Senhor me abençoou muito com tais preciosidades.

     


    4 agosto 2013 | CAC | Nenhum Comentário | Tags:

Sobre o Autor

CAC

Comments are closed.